sábado, 3 de outubro de 2009

O Grifo Planante (João)
Apadrinhou !!
Obrigada João,
por te chamar…. AMIGO



Foto: João Menéres

João Menéres, Engenheiro de formação, começou a fazer fotografia por hobby, mas cedo se tornou numa paixão que o levou na década de 70 a dedicar-se quase exclusivamente à Fotografia.
João Menéres, nascido no Porto, foi o primeiro autor português de fotografia a expor na Fundação Calouste Gulbenkian e autor de dezenas de livros, entre outros; “Encontro com o Porto “ e “De um outro Porto”.
Os seus temas preferidos são a natureza, a paisagem rural e urbana, o ballet, a terra, o mar e o homem, a arquitectura, a arte e a fotografia aérea. A Cidade do Porto está sempre no seu pensamento fotográfico.
Reconhecido a nível nacional e internacional, João Menéres ganhou inúmeros prémios de prestígio, em França é-lhe atribuída a Médaille des Affaires Étrangères…..
Numa entrevista dá-se a conhecer na primeira pessoa:

5 comentários:

  1. Olá menina,

    Vi seu comentário no espaço do Mestre Rolando, falo Mestre, porque ele nasceu com um dom e sabe nos ensinar entrelinhas. Eu pouco entrava no blog do Mestre, nós homens somos bicho burro, muitas vezes deixamos de aprender, não por esta usando óculos escuro, mas por a tal da insegurança.

    Seu comentário, bate com o meu pensamento e por isso estou lhe dirigindo essa mensagem, para dizer "AINDA BEM QUE TEM UM PASSADO QUE TE AMA".

    O futuro, ninguem conhece, o presente, é sorriso, o passado, jamais deixará de ser parte de ti. Isso é o que penso.
    Esse é seu comentário.

    " O passado são as páginas já escritas de um diário.

    Cada nova página são as memórias que vão fazer parte do passado.

    Escrever exorciza as lembranças,

    Mesmo que nunca passem para o papel nunca sairão da memória".


    Menina, vejo nos blogs, as pessoas falarem do passado, como se ele não fosse presente.

    Parabéns pelo seu comentário.

    ResponderEliminar
  2. Eu gosto mesmo de voar.As vezes passo horas deitada no chão e fico voando no horizonte.Gosto de voar sem Hasas.Assim com H mesmo,na extensão completa da palavra e do nome.Quase nem pouso quando fico assim.E quando pouso,voo pousada.Hasas aladas em riste,como preparando um novo voo.
    Nesses voos eu me liberto do que me aprisiona e me prendo no que me solta.Contraditório,alguém diria.
    Mas quem disse que eu gosto de ser convencional.Nada me prende nem me solta...porque eu sou dona de minhas asas.
    (Esse é seu e está no meu blog,dedicado a ti,beijos).

    ResponderEliminar
  3. Ao padrinho pediste uma imagem.
    Enviei esta por pensar que se adequava a quem sai do ninho pela primeira vez.
    Vejo que já voas com 100 ASAS !

    (Nota: agradeço a nota do C.V., mas era desnecessária, òbviamente!)

    Um beijo, AMIGA.

    ResponderEliminar
  4. ola amiga , sinto que estou a voar, mas como ? não tenho asas.

    Estou a sair do ninho pela primeira vez.
    mas vais ver como não vou mais parar de voar e olha que passei a ver o céu de outra forma, atraves da palavra, porque tenho que estar a olhar sempre para a frente.

    adoro os comentarios e a foto apartir de hoje vais ter muitas surpresas........

    Beijos da tua madrinha a cruja

    ResponderEliminar